Cerveja MGB, uma Kristal Weiss na escuta!

rvf171213-img_6659

Fui convidada no ano passado para dar uma assessoria ao Studio MGB, do empresário Ale Balbo. Marcamos uma reunião e lá fui eu com o meu caderninho de anotações!

No primeiro encontro eu fiz várias perguntas para entender qual seria o conceito da nova cerveja. O Ale me disse que acompanhou o lançamento de algumas cervejas de banda de Rock e se interessou em fazer uma cerveja para o estúdio de música que ele administra. Música + cerveja + profissionais da música, dá uma mistura boa! Para convencer o pessoal de não fazer uma cerveja Pilsen, resolvi fazer um pequeno evento de degustação!

rvf171213-img_6652

Alguns convidados foram até o Studio para provar diversos estilos diferentes de cerveja e ajudar na votação para o novo rótulo do MGB. Comecei com uma Budweiser, para mostrar o quanto uma cerveja leve de mais pode ser esquecida quando bebemos rótulos com mais estilo e atitude! Junto harmonizei com alguns frios (queijos e embutidos!). Depois de uma breve explicação e também uma boa degustação, chegou a hora dos participantes votarem! As cervejas que eu servi foram:

rvf171213-img_6638

A cerveja mais votada (quase empatando) foi a cerveja de trigo! O estilo então havia sido escolhido! Uma cerveja de caráter leve e com fácil drinkability!

Tem mais fotos deste evento no site do Cerveja e Comida, que acompanhou a degustação:

http://cervejaecomida.com/degustacao-para-escolher-o-estilo-da-cerveja-mgb-estudio/

O próximo passo era escolher a cervejaria que seria responsável pela produção. O que não é muito fácil, pois não são todas as cervejarias que fazem terceirização e também em pouca quantidade. Para este perfil, escolhemos a Cervejaria Lund, aqui em Ribeirão Preto mesmo. Fomos muito bem recebidos pela Dalva, proprietária da fábrica. A Lund já fabrica muitas cervejas neste mesmo formato, quase que se especializando neste segmento. Lá também são fabricados mais quatro estilos de cerveja (Pilsen, Dunkel, Hefe-Weizen e Witbier) de linha.

Próximo passo era definir qual a receita, ou seja, como seria feita essa cerveja de trigo que optamos! Agora a conversa foi com o Evandro Zanini, mestre cervejeiro responsável pelas produções da Cervejaria Lund. O Ale e a Tati (sua esposa) queriam que a receita tivesse um toque diferente, algo que desse mais personalidade a cerveja. E depois de conversa vai e conversa vem, o Evandro sugeriu de fazer um dry hopping (adição de lúpulo durante a maturação) com um lúpulo, novo aqui no Brasil, o Mandarina. Este lúpulo tem sua origem na Alemanha e vem de uma linhagem do já conhecido Cascade, ele foi lançado em 2012, tem toques cítricos bem perceptíveis com lances de tangerina mais acentuado. O nome do lúpulo influenciou a escolha do nome da cerveja, dando referência ao que o consumidor ia encontrar por ali!

http://loja.weconsultoria.com.br/lupulo-hallertau-mandarina-bavaria-em-pellet-p44960/
http://loja.weconsultoria.com.br/lupulo-hallertau-mandarina-bavaria-em-pellet-p44960/

Além disso a proposta foi de também filtrar a cerveja! Normalmente as cervejas de trigos não são filtradas, característica dos estilos clássicos, já que o trigo é um cereal bem mais “pesado” e encorpado. Mas este estilo já existe, chama-se Kristal Weiss e acaba tendo características de cerveja mais brilhante e refrescante.

O passo seguinte foi a degustação de uma prévia, um teste. Parte chata, mas necessária 😉 . Depois que provamos alguns copos com diferentes propostas, definimos enfim a personalidade da cerveja. Agora, era hora de esperar o mosto fermentar, maturar, dry hopping…….e pronto!

rvf171213-img_6664

Outro passo importante foi criar o rótulo da cerveja, a roupagem é sempre importante! Para isso o Ale convocou o pessoal da NW3 aqui de Ribeirão Preto. Após uma série de reuniões, idas e vindas de imagens, o modelito escolhido para o show foi esse aqui:

00390_MGB_LancamentoCerveja_RotuloPromocional-01 00390_MGB_LancamentoCerveja_RotuloPromocional-02 00390_MGB_LancamentoCerveja_RotuloPromocional-03

Para lançar a cerveja, eu fiz uma resenha contando um pouco essa mesma história que eu escrevo aqui, mas de maneira mais reduzida. Fiz um texto para ajudar na divulgação do produto e auxiliar os bebedores:

Mandarina Weiss Studio MGB

Estilo: Kristal Weiss

Cervejaria: Lund

Teor Alcoólico: 4,6%

Copo: Caldereta, Weiss, tulipa

Temperatura ideal de consumo: 3º a 5º C

Para descrever essa cerveja, foi preciso abrir uma garrafa. Mais do que isso foi preciso pensar em música também! A conexão entre cerveja e música vai muito além das baladas e bebedeiras. Harmonizamos o som, o momento, o paladar e as pessoas.

O estilo escolhido para a primeira cerveja do Studio MGB veio somente após uma degustação com vários rótulos diferentes e um júri muito especial, o pessoal do Studio MGB. Ao final da degustação, muitas opções estavam disponíveis. Já na fábrica com o mestre cervejeiro Evandro Zanini da Cervejaria Lund, optamos por fazer uma Weiss, mas com uma “batida” diferente das tradicionais receitas alemãs que circulam pelos grandes copos por aí. As tradicionais cervejas de trigo não costumam ser filtradas e tem o aspecto bastante turvo e sabor característico. Na receita da Mandarina Weiss MGB, a cerveja além de ser filtrada, ainda tem um toque final, recebe uma técnica que chamamos de Dry Hopping, que consiste em adicionar lúpulo no processo de maturação da cerveja. Para esta receita em especial, o lúpulo escolhido foi o Mandarina que tem origem na Alemanha e é novidade no mercado.

Vamos à parte prática!

No aroma é uma cerveja que tem toques bastante frutados e com nuances muito sutis de cítrico. De coloração dourada e brilhante por conta da filtragem, não tem uma formação de espuma como nas clássicas receitas, mas sua carbonatação aparece bem na boca. No paladar, uma cerveja que desperta! De corpo médio a leve, o dulçor do malte de trigo se mostra bastante equilibrado. O toque do lúpulo Mandarina não tem características tão amargas, mas sim frutadas como tangerina, toranja e outras frutas cítricas. O final é longo e refrescante. Esta cerveja foi pensada para Ribeirão Preto, clima tropical, quente, seco e sedento! Para ser bebida e desfrutada harmonizando com uma música tão boa quanto o líquido! Drinkability perfeito!

O resumo disso e a divulgação da cerveja ficou assim:

flyer_a5_frente_2_1

flyer_a5_verso_3Adorei participar de um projeto como este. Misturar cerveja com música é harmonizar! Muito obrigada ao Ale e a Tati pela oportunidade! Vida longa a Mandarina Weiss!

Bebam menos, bebam melhor! Ouçam boa música! Saúde!

A cerveja está a venda nos seguintes pontos de Ribeirão Preto: Empório Bonamí, Casa Damasco, Empório Damasco e Museu da Gula!

rvf171213-img_6649

 

Anúncios

2 Comments Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s