Texto de lançamento do site Pubers

 

Por: Bia Amorim

Lá estava você, tomando uma cerveja gelada no seu precioso final de semana, o copo suado, a lata amassada, o amendoim descascado e a TV ligada. Não mais que de repente, alguém trocou seu copo. O modelo tradicional, baixinho e de borda arredondada que sua mão conhecia foi trocado por fino cristal com borda cortada a frio, o corpo mais curvado que o do Pão de Açúcar. O líquido, ao invés de amarelo clarinho, agora tinha cor avermelhada – olhando rapidamente, você não saberia dizer se um era um chá ou refrigerante. No entanto, quando foi chegando perto do nariz, aquele aroma nunca tinha se apresentado a você. Um floral? Um cítrico? Que cheiro é esse? Quando você bebeu, em uma golada só, como de costume, quase cuspiu aquele líquido amargo que chamavam de “cerveja de verdade”. Ainda pior, estava quente, o álcool subiu, o final foi seco; sua boca, do nada, parecia limpa, sua língua nunca tinha sentido nada parecido. Com medo, com indiferença e com pouquíssima paciência, você quis saber que brincadeira de mal gosto era aquela. Aí te falaram sobre “verdades”, disseram que você foi enganado a vida inteira e tudo aquilo que você já viveu com a amada cerveja, a redonda, a número 1, a do baixinho, a do bigode, a do verão ou a do inverno, disseram que aquilo tudo não passava de chá de milho. 

Não sei que parte da história combina com a sua, mas se você está no site do Pubers, lendo isso agora, é porque trocou de fase, passou o último chefão do mundo das cervejas de uma época passada. Está aqui porque seu interesse e curiosidade pelo novo te trouxeram aqui. Seja bem-vindo.Woman with Open Sign

O mercado de cerveja no Brasil já não é mais como você o conheceu, mas, fique tranquilo, o que é novo para você é novo para o nosso país também. Primeiro, porque a cerveja só chegou aqui em 1808 e ela existe há mais de 8.000 anos. Segundo, porque faz cerca de 20 anos que temos um grupo de pessoas que se interessou em fazer algo diferente, brassar ideias. Mais do que ir contra as grandes cervejarias, aqueles que desbravaram o mercado de cervejas aqui queriam sabor, diversidade e experiências diferentes, mais do que arrumar picuinha com quem faz cerveja não maltada, o interessante é ser livre para beber o que quiser e fizer.

Para quem chegou agora, achando que o bonde estava andando muito longe, fique tranquilo, você está na crista da onda das cervejas artesanais brasileiras. Acabamos de vivenciar, nos últimos 5 anos, um grande boom de empresas que fabricam, entregam, distribuem, escrevem, desenham, carregam, avaliam e vendem. Nosso mercado – se comparado a outros países, neste mesmo nicho de cerveja, ainda tem muito que trabalhar.

Brewing, Griesbraeu, Murnau, Upper Bavaria, Bavaria, GermanyOs países do chamado Velho Mundo têm a cerveja como tradição milenar. Como eu disse lá em cima, ela foi descoberta há mais de oito milênios e, muito antes da escrita ser inventada, os povos já passavam as tradições cervejeiras entre eles como algo cultural, cotidiano, aquela receita da vó que perpetua na família. Em nosso país, temos, na ponta do lápis, apenas 207 anos de um movimento que só agora está se tornando uma tradição. Estamos melhorando nossa fala, praticando e colocando a cerveja no lugar onde deveria estar, na rotina, na educação, com discernimento. Ou pelo menos tentando e se divertindo.

Tá explicado, então, por que trocaram seu copo? Não, né?! Para você, deve ser assim também, quando começa a gostar de alguma coisa, costuma querer entender melhor, saber como funciona, ver os diferentes tipos. Vivemos em um mundo tão plural, tão grande, mas tão idiossincrático em muitas coisas – isso é cultura. Às vezes, você vai à Índia com apenas uma garfada de curry, frangomasala ou até o simples naan. Os sabores de uma Paella levam alguém à Espanha sem sair da mesa e até um gole em um vinho português te leva daqui ao Porto em uma piscada.

Eu tô tentando te contar que existe uma certa magia por trás disso tudo e que, na verdade, o mistério não é a mágica e, sim, a maneira como você a interpreta. Assim, uma boa cerveja amarga – como a India Pale Ale com lúpulos florais e cítricos, um tom forte de maracujá – pousa você em uma conversa com Obama; uma Kriek Lambic te leva com uma inspirada profunda às escuras, velhas e vivas cervejarias da Bélgica. Quem sabe uma boa Porter te leve até a beira do porto da Inglaterra, na época em que os trabalhadores braçais precisavam de mais do que uma cervejinha clara para se animar! Assim é descobrir o mundo das cervejas artesanais. É sair da comodidade do arroz e feijão ao qual fomos acostumados a beber. Quem sabe hoje mudar o cardápio te faça novos amigos? Traga uma leitura agradável, um sabor diferente, uma etapa concluída, uma promoção bem comemorada, uma viagem inesperada.

Glasses full of beer on bar counterO objetivo aqui é de contar como está a cerveja, o mercado cervejeiro no Brasil e explicar o porquê de alguém querer que você mude de opinião e beba outra coisa. Temos hoje no Brasil mais de 300 micros cervejarias produzindo cervejas (boas e ruins, tem de tudo), muita gente que mudou a vida, jogou tudo pro alto e apostou que o mercado cervejeiro poderia ser promissor. Temos hoje um time de profissionais que está muito dedicado a encontrar a fórmula perfeita para o brasileiro: sabor, embalagem, matéria-prima, marca, preço, local de venda, atendimento, infraestrutura são alguns dos itens que precisam ser colocados no jogo. As pequenas cervejarias acabam dando muito mais emprego diretamente que as grandes. Por isso, no final das contas, deve ter alguém que você conhece neste mundo pequeno que já fez cerveja em casa, que já levou você para beber uma cerveja bem diferente. Você está aqui porque faz parte da mudança.

O Brasil está em uma fase de mudar seu rumo gastronômico, embarcando novas histórias para fazer seu povo feliz e com orgulho do produto nacional, assim como a cachaça e o café e outros produtos estão fazendo grande esforço, os cervejeiros estão também em processo de organização para que os próximos anos sejam cheios de brindes com largos sorrisos no rosto, todos esforçando-se para uma cultura gastronômica melhor e mais ampla.

Saúde!

Fonte: Bem vindo ao Pubers!

Anúncios